6 Comentários

O Homem que atendeu o último pedido de Jofre Cabral! por Robson Izzy Rock

Robson Izzy Rock 1

Robson Izzy Rock

O Homem que atendeu o último pedido de Jofre Cabral

Imortal Jofre Cabral.

Talvez o maior dos Atleticanos de todos os tempos.

O torcedor que literalmente morreu do “coração” pelo seu clube de coração.

Um fato que se deu em Londrina no jogo contra o Paraná de Londrina. O Atlético precisava da vitória para ser campeão de 1968 e vencia o jogo por 2×1, o Paraná empatou e o coração de Jofre não aguentou e o mesmo acabou falecendo, após o fato os jogadores, abatidos com a tragédia cederam o terceiro gol ao time londrinense.

Jofre queria um Atlético imponente, um Atlético nacional, um Atlético que fizesse frente aos grandes do eixo Rio – São Paulo.

Jofre tirou o Atlético da segunda divisão do campeonato paranaense em uma “virada de mesa” histórica e se propôs a trazer estrelas nacionais para compor o esquadrão rubro negro.

Nomes como Belini, Dorval, Djalma Santos, Zito e Pepe, compunham um timaço que encantou nossas terras durante o ano de 1968, batendo até mesmo o imbatível Santos de Pelé.

Jofre antes de morrer fez seu pedido único e memorável: “Nunca deixem meu Atlético morrer”!

Após a morte do grande Presidente de 68, o Atlético novamente começou a sucumbir pelas tabelas. Viveu o marasmo da década de 70, década que apenas sobreviveu.

Viveu mais baixos do que altos na década de 80, alguns títulos estaduais e um 3o lugar histórico no Campeonato Brasileiro de 1983.

Mas a pobreza começou a tomar conta lentamente daquele que já era tido como o clube de maior torcida do estado.

A saída da eterna Baixada comprometeu ainda mais a “saúde” do Furacão que nem mais parecia uma brisa de tão fraco e impotente que se encontrava.

No início dos anos 90 era comum ouvir nas rádios e ler nos jornais sussurros de possíveis fusões do Atlético com qualquer clube que se candidatasse a tal “negócio”.

Nem mesmo à volta para a velha Baixada concretizada pelo então presidente José Carlos Farinhaki, despertou o clube para um novo tempo.

O que sonhávamos ser algo que mudaria a história do clube, não passou de sonho e o clube se desgastava mais tentando liquidar as dívidas exorbitantes contraídas ao longo das gestões anteriores.

Hussein Zraik apareceu como salvador da pátria, mas aqueles que viveram o ano de 1995 sabem que foram mais palavras e promessas do que realizações.

O Atlético estava morrendo aos poucos.

Já na UTI do desespero levou mais uma bordoada sonora com a goleada imposta pelo rival.

Um lamento, um pranto uníssono, ecoava pelo Couto Pereira naquele dia.

Naquele dia o Atlético havia definitivamente morrido.

Eis que dos céus ouvimos a voz de Jofre Cabral: “Nunca deixem meu Atlético morrer’.

Levantamos como guerreiros com machados e lanças em punho e cantamos nosso amado hino de guerra o hino do Clube Atlético Paranaense.

Eu estava lá, com a mão no coração, cantando também, mas, contam os torcedores de radinho, que foi uma das coisas mais emocionantes ouvidas nas rádios de Curitiba.

O som era altíssimo, cobria vozes de narradores, repórteres e outra torcida qualquer.

E junto com o hino ecoava a voz de Jofre: “Nunca deixem meu Atlético morrer”!

Essa voz foi ouvida em todos os cantos do estádio Couto Pereira, foi ouvida pelos corredores do estádio, pelas arquibancadas, pelos vestiários, o eco era tão ensurdecedor que invadiu as cabines de rádio e tv, passando por cabos e periféricos e chegando no mais longínquo extremo do Estado do Paraná: “Nunca deixem meu Atlético morrer”!

Esse eco fez uma breve parada nos ouvidos e coração de um dos Atleticanos mais fanáticos que conheci.

O homem não quis saber o quanto sofreria para ressuscitar e dar vida nova ao Furacão.

Não perguntou quanto teria que aplicar de seu dinheiro e nem perguntou quem aprovaria ou não aprovaria, simplesmente “virou a mesa” como fez Jofre Cabral e mudou a regra do jogo.

Aos poucos reconstruiu nossa paixão, nos devolveu nosso Atlético pulsando cada vez mais forte e nossos corações disparando novamente de alegria.

De um ano para outro devolveu a goleada ao nosso rival enfiando goela abaixo deles gols em uma virada sensacional e um show inesquecível com placar de 5×2.

O sarro que tínhamos que engolir por causa da estrela amarela ficou pelo meio do caminho, tínhamos uma melhor, mais nova e mais bonita que a deles e sem saldo negativo de gols.

Nos tornamos internacionais, fortes, imponentes, épicos, finalistas da Libertadores, chegamos bem perto de Tókio.

Ahh… Se não fosse a malandragem e a picaretagem paulista, teríamos entrado no avião para sermos caMCPvdavitoriampeões contra o Liverpool.

Nosso Atlético não morreu e o sacrifício feito por aquele Presidente fanático que morreu no estádio em Londrina pelo Furacão não foi em vão.

Pena Jofre Cabral que você não esta presente em corpo para ver o que somos hoje.

Mas agradecemos Jofre Cabral, pois tenho a certeza que de alguma forma você de onde está, colocou em nosso caminho o homem que fez milagres e “Não deixou o Atlético morrer”!

Acho que você tem orgulho dele e do que ele fez pelo seu e pelo nosso Furacão.

Mario Celso Petraglia, o homem que atendeu o último pedido de Jofre Cabral: “Nunca deixem o Atlético morrer” e o Atlético não morreu, está mais vivo que nunca e com muitos projetos ainda por realizar.

MCPeJOFRE

Anúncios

6 comentários em “O Homem que atendeu o último pedido de Jofre Cabral! por Robson Izzy Rock

  1. Olha a anos não leio algo tão emocionante como este texto ,parabéns mesmo de coração
    Escreveu o que penso palavra por palavra

    Curtir

  2. Grande coluna. O link entre um e outro é perfeito. O Atlético não cabe mais só no Paraná. Temos que sonhar e realizar grandes feitos. O MCP é o comandante que vai nos levar a essa internacionalização.
    Abrax.

    Curtido por 1 pessoa

  3. cresci nos anos 70 sou atléticano de teimoso as alegrias anos 80 e depois a revolução anos 90 arena da baixada crescimento nacional com mcp.

    Curtir

  4. Emocionante,esperamos que o futuro seja ainda mais promissor,e honre as palavras de Jofre Cabral.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s