Deixe um comentário

Comitiva analisa gramados de quatro sedes da Copa do Mundo de 2014

Uma das fases mais esperadas pelos torcedores atleticanos nas obras de reforma e ampliação da Arena da Baixada para a Copa do Mundo é a colocação do gramado. A diretoria da CAP S/A tanto quanto as demais administrações dos novos estádios têm muitas preocupações com o efeito do sombreamento das grandes coberturas sobre os gramados e por isso não tem poupado esforços para fazer todo o possível para que a Arena tenha um gramado de alto nível.

Além de vários estudos realizados, na última semana, uma comitiva envolvida no processo de construção do gramado, visitou em apenas três dias quatro estádios que já estão prontos para sediar a Copa do Mundo de 2014 e que foram utilizados na Copa das Confederações. O principal objetivo foi avaliar os métodos construtivos e aplicações das novas tecnologias sugeridas pelos técnicos do COL (Comitê Organizador Local da FIFA) que podem contribuir na construção do gramado da Arena dos Paranaenses. O grupo aproveitou a viagem para visitar e analisar também as demais áreas dos estádios e as instalações esportivas, principalmente os vestiários.

A comitiva foi formada pelo presidente do Conselho Administrativo do CAP, Mario Celso Petraglia, pelo Diretor de Marketing e Comunicação do CAP, Mauro Holzmann, pelo arquiteto responsável pelo projeto da Arena dos Paranaenses, Carlos Arcos, pelo Diretor Construtor do CAP, Luiz Volpato, e pelo proprietário da empresa Oficina Verde, o engenheiro agrônomo, especialista em gramados esportivos e responsável pela implantação do gramado da Arena, Ernesto Siqueira Rodrigues.

A viagem foi iniciada em Recife, quando a comitiva aproveitou a partida entre Náutico e CAP para fazer a primeira visita, à Arena Pernambuco. No dia seguinte, viajaram para Salvador, onde analisaram o gramado da Arena Fonte Nova, e para Brasília, onde visitaram as instalações do estádio Mané Garrincha. No ultimo dia, a visita aconteceu ao Maracanã, no Rio de Janeiro.

A grama base que será plantada na Arena dos Paranaenses é do tipo Bermuda Tifgrand, com uma combinação com o tipo Ryegrass. “A Bermuda, no inverno, diminui o crescimento e a Ryegrass tem um bom crescimento no período de frio. Além disso, é uma grama que tolera bem o sombreamento. Então suprirá qualquer problema”, explica o engenheiro agrônomo Ernesto Siqueira Rodrigues.

Após as análises dos quatro estádios visitados, chegou-se à conclusão de que a iluminação artificial tem se mostrado muito eficiente na grama Ryegrass e que esta tecnologia é recomendada para a Arena dos Paranaenses. No entanto, como o gramado será colocado no sistema Big Roll (grandes rolos com 1,2 metros de largura e 5 a 6 cm de espessura), não se recomendou a utilização do reforço do solo com fibra.

Já o sistema de drenagem a vácuo com insuflamento deixou muitas dúvidas à comitiva, pois em Salvador, onde foi instalado o sistema, não foi possível avaliar sua eficácia uma vez que o gramado se encontra em perfeitas condições de insolação e ventilação natural e que poderia também ser atendido por drenagem gravitacional. Neste caso, o consultor da CAP S/A, o engenheiro Ernesto Siqueira Rodrigues, acredita que ainda não existem dados concretos para se especificar tão complexo e custoso sistema.

A grama que completará a Arena dos Paranaenses já está sendo preparada. Uma fazenda da cidade de Santo Antônio da Patrulha [70 km de Porto Alegre] recebe o plantio do gramado que fará parte do estádio. A grande vantagem do gramado rubro-negro será o tempo de execução. Como a grama está enraizada há mais de dois anos, chegará praticamente pronta para ser utilizada em jogos. A previsão é iniciar essa colocação na segunda quinzena de dezembro. Atualmente, o espaço onde será o campo de jogo está sendo utilizado para a montagem da estrutura da cobertura e também para o trabalho dos guindastes que auxiliam estes e outros trabalhos no local.

A viagem de visitas aos estádios somente foi possível ser realizada em tão pouco tempo, graças à Helisul Táxi Aéreo, que entendeu a grandiosidade do projeto e realizou uma condição financeira especial ao clube. O CAP agradece os profissionais da Helisul, os Comandantes Eloy Biesuz e Bosobom e Carlos José Oberleitner, e também o profissional da empresa Oficina do Verde, o engenheiro Ernesto Henriques. O Clube Atlético Paranaense também agradece a Roberto Siviero, gerente geral de estádios e instalações do COL/FIFA, pelas gestões perante as administrações dos estádios visitados e os representantes do COL em cada cidade sede, que propiciaram a abertura de todos os espaços e informações técnicas.

Confira fotos das Arenas visitadas pela comitiva do CAP e também o futuro gramado da Arena, que já está preparado.

Salvador:

Visita-Salvador

Visita-Salvador1

Rio de Janeiro:

Visita-Rio-de-Janeiro

Visita-Rio-de-Janeiro1

Brasília:

Visita-Brasilia

Visita-Brasilia1

Visita-Brasilia2

Recife:

Visita-Recife

Visita-Recife1

Futuro gramado da Arena dos Paranaenses, em Santo Antônio da Patrulha-RS:

grama

grama1

grama2

grama3

grama4

Fonte : Arena CAP

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s